26 de abr de 2012

Meus 20 anos de boy...that's over, baby

Fico aqui tentando lembrar em que momento perdi o pânico de completar 30 anos. Quando completei meus 25 anos, todos comentavam da crise dos 30 e eu ficava preocupada, pois sabia que tudo aquilo que idealizei um dia, cairia sobre os meus ombros. O desespero chega quando nos damos conta de que não somos NADA do que um dia idealizamos, mas a calma toma conta quando descobrimos que estamos melhores do que fomos um dia.
Do ano passado pra cá, descobri o meu primeiro cabelo branco (finado, pois arranquei), minhas primeiras rugas (comprei meu primeiro renew, mas deu alergia) e descobri também que existem coisas, como as que citei, que independem da gente (não contei com plásticas, tintura e botox), mas o resto todinho está nas nossas mãos. Com isso me descobri mais segura e mais tranquila. Saber que nada é pra já, dá uma leveza absurda na vida e talvez até contribuam por suavizar o peso da idade, conforme os anos vão passando. (quero ler isso com 50).
Já não tenho mais o mesmo pique de 10 anos atrás e olha que levo uma vida saudável e pratico atividade física, mas a verdade é que nossa mente não tolera mais certas agressões desnecessárias com o nosso corpo. Pensando assim, chega uma hora que começamos a selecionar tudo, desde música à pessoas e isso, que antes pensava ser crueldade, hoje acho que faz parte da "qualidade de vida", uma constante em todas as atuais tomadas de decisão.
Passei meses dividida entre a vontade de fazer um festão pra comemorar a entrada pra gangue das balzacas e a opção de fazer um bolo, chamar 3 amigos e bater um papo. Queria muito confraternizar com todos, todos juntos, mas qual o momento da minha vida que reuni todos os amigos? Uma das coisas que aprendi também nesse tempinho, é que não se mistura pessoas. Todos a seu tempo, seu jeito. Será assim...cada dia um pouquinho pra um, um papo pra outro, uma vodka pra outro, afinal, como nada é pra já, me dá liberdade de prolongar cada coisinha, até o aniversário....Que a vida seja uma eterna comemoração, começando por agradecer a graça de estar viva. Muito Obrigada, meu Deus.

2 comentários:

  1. É verdade, antes dos trinta se tem "uma vida inteira pela frente", e quando "eles" vão chegando a gente sente que a vida não é mais ensaio, é pra valer e acontece aquela retrospectiva, né? Estou nessa tb, em agosto faço trinta e parece a hora final em que a vida passa pelos nossos olhos kkkk A parte boa de tudo isso é que no topo da montanha a visão é mais clara e a vida é mais maleável, digamos assim. Se somos responsáveis pelas coisas desagradáveis, somos também por um mundo inteiro de coisas boas. Somos mais donas(os) de si. Feliz trinta, que esta década seja uma das melhores. Feliz década. :)

    ResponderExcluir
  2. Que engraçado, parece que vc sabe o que eu penso e escreve rs..
    Estou bem nessa ase também e estou bem tranquila, vejo muita gente de 30 querendo voltar à adolescência, acho engraçado isso, já que estamos numa fase muito mais bem-resolvida e seletiva que antes né?
    Ainda bem! bjo

    ResponderExcluir