29 de mar de 2012

A decisão de parar de fumar


Me emociona escrever sobre isso, pois foi a minha maior conquista até agora. Quando falam que só damos valor ao que é difícil de ser conquistado..é a mais pura verdade, e eu me sinto o incrível hulk por isso.
Comecei a fumar aos 15 anos, por burrice (claro) e por uma extrema necessidade de afirmação. Essa é a fase em que precisamos ser aceitos, é quando o nosso mundo começa a ser dividido por tribos, grupos e quando começamos a conhecer os interesses. Até porque, na minha época, antes de 15 anos, a gente só queria saber de brincar e pouco importava quem tinha barbie ou prima pobre da barbie, se todas usavam roupas feitas de meia e os móveis da casa dela eram de caixas de fósforo. Fora as brincadeiras na rua (pira esconde, fura-fura, garrafão, peteca, queimada..)...saudade dessa época, mas voltemos ao assunto.
Com o tempo, os mesmos amigos que começaram comigo nessa "viagem", pararam com a brincadeira e eu fiquei. Na minha opnião, a pessoa não vira dependente, a pessoa É dependente e não sabe, por isso todos os amigos largaram a onda de fumar e eu fiquei..fui criando relação, aprofundando. Na época era um charme fumar o INSUPORTÁVEL Gudang Garam. Com o tempo eu fui achando nojento e trocando por cigarro de macho (o carlton, luck strike e camel da vida). Eu comprava a lata do Gudang, guardava embaixo das roupas na gaveta e levava sempre aos poucos quando saía. O tempo foi passando e o vício aumentando, até que meus pais descobriram, NUNCA aceitaram, mas passaram a ter que conviver com isso. (É quando digo que amor paternal não é deste mundo, não mesmo...é magnífico. Minha mãe sofria com sinusite, rinite, alergias intermináveis por conta da fumaça e fedor do cigarro, mas nunca desistiu de mim e nem de me incentivar a parar). Meu lance com o cigarro passou de habitual, gestual, pra algo muito mais intenso. Nós tínhamos uma relação íntima, éramos uma dupla dinâmica. Eu o levava aos lugares, o apresentava a sociedade, já que atualmente ele é quem passa por problemas de aceitação (pois o fumante não liga pra nada e sempre dá o seu jeito) e ele entra dividindo parcelas da vida e dando apoio. Foram muitas alegrias dividas nas rodas de fumantes, muitos rolos que começaram por um empréstimo de isqueiro, foram muitas lágrimas, muitas...muitos momentos de solidão. Só ele quem me entendia e muitas vezes, inúmeras, foi SÓ ELE quem me acompanhou. O fumante vai pegando essa relação de "alma gêmea" com o cigarro. Nossos amigos tem compromissos, nossos familiares também, mas o cigarro, basta ir na esquina, puxar da bolsa..ele está lá contigo, pronto pra ouvir teus pensamentos, te dar 2 minutos de paz e depois voltar pro dia.
Com o tempo, passamos a dividir um café, uma cerveja (cheguei a fumar quase 3 carteiras numa noite e não me perguntem como eu amanhecia), o banheiro.. nossa, isso é o auge da intimidade pra mim. Pra você ver como o lance é intenso, que nunca dividi banheiro nem com marido. O negócio dominou, mas eu nunca importei, afinal de contas, que me ama tá comigo. E quem eu amo, por que não tô me importando?
O tio do ex-marido quase morreu por conta do Carlton (o meu xodó)..CÂNCER, fez traqueostomia. Vi toda a recuperação e nem liguei. O fumante é sempre mais forte, mais inteligente, mais dono da verdade que todos e sempre, sempre sabe que o dia que algo começar a dar errado, é o toque pra ele parar e pronto, ele pára. MENTIRA, ele pensa em parar. Depois de muito tempo fumando, o fumante já admira quem consegue fazer as coisas sem fumar, já acha meio chato ter que se afastar do grupo, justo no papo interessante, porque está na hora do cigarro. Ele já acha triste ter que sair pra comprar o maldito cigarro, quando poderia estar curtindo a chuva debaixo das cobertas, mas vai mesmo assim. O cigarro é tão bacana que faz passar essa sensação de tristeza. Sabe, hoje eu posso afirmar que parei de fumar (ainda vou comentar como fiz pra parar), mas eu gosto do cigarro, gosto do gosto, gosto da companhia. (tô quase chorando ao escrever isso), mas eu sei que chegaria um tempo em que eu teria que escolher "EU ou ele". Meus pais estão envelhecendo e sinceramente, eles não suportariam me ver sofrendo numa cama de hospital ou não suportariam a dor da minha perda por uma coisa tão pequena: um cigarro, mas isso é coisa que a gente vai pensando com o tempo e que eu sempre esqueci depois do primeiro trago.
Sempre me preocupei com a aparência (uma vez miss tuna 94, sempre miss tuna kkkk) e um belo dia me vi com manchas horríveis no rosto (poucas ainda),
aspecto cansado, marcas de expressão pelo hábito de fumar e uma tia fumante que eu tenho, disse que com o passar do tempo eu ficaria igual ela com "código de barras" na boca (aqueles risquinhos de boca rachada) e aquilo me apavorou. Meus dentes que sempre foram branquinhos, estavam amarelando e comecei a ficar encucada. Sim, eu estava envelhecendo antes do tempo. NÃO PODE, nem cabelo branco eu tenho ainda (não tenho mesmo, porque o único que apareceu, eu arranquei e voltemos ao assunto). Achei sacanagem o cigarro fazer isso com quem sempre deu o maior apoio a ele, mas isso é como se fosse contra a vontade dele... Como eu disse ao meu chefe, o cigarro em si, lá na carteira dele, não faz mal algum, é inofencivo, bacana, o cruel é o hábito de fumar e ele que estava acabando comigo. Eu posso até segurar um cigarro que ele não vai me fazer mal, mas ao acender e tragar....
Tentei inúmeras vezes parar de fumar, o máximo que consegui foi 1 ano, mas como ainda era influenciável (18 anos), voltei mais rebelde que nunca e mais viciada que nunca. Cada vez que paramos de fumar, voltamos com mais sede e ficamos mais frustrados, nos sentindo mais fracassados. Acho que por isso é tão doloroso tocar no assunto "PARAR DE FUMAR", pois não é fácil pra quem é tão forte como dupla, se admitir tão derrotado, se permitir fracassar mais uma vez..ninguém imagina o tamanho da briga interna, então é muito mais fácil seguir fumando, pois se eu morrer com o vício, não vou ter que ouvir piada de ninguém, muito menos ter que explicar que voltei e onde eu errei. ESSE É O PONTO, mas lembra quando comentei da família? Não queria esse sofrimento pra minha mãe, ela não merece e ...eu quero ter filhos. DOIS. Estou perto dos 30 anos.
Frequentei algumas reuniões da terapia de grupo pra fumantes, promovido pelo SUS. A única mais nova era uma moça de 18 anos que provavelmente não conseguiu parar até hoje, pois além de fumante, era depressiva, mas o resto, eram senhores, senhorinhas...rosto maltratado pelo tempo e pelo vício. Desempregados que muitas vezes não tinham dinheiro pra comer, pegar ônibus pra entrevistas de emprego, mas continuavam fumando. COMO??? Eles choravam contando suas histórias e eu chorava contando a minha, mas que, sinceramente, não era nada ou quase nada ao lado da deles e eu não queria isso pra mim. AINDA ERA TEMPO.
Todo mundo fala da crise dos 30 e ao perceber que ele estava chegando, em vez de me lamentar, me veio a vontade de tentar resolver tudo o que sempre me incomodou e isso tem me feito um bem danado a cada dia. Como já disse, o cigarro nunca me fez mal nenhum, mas o hábito de fumar, ainda iria me matar.
Não tive tempo e paciência pra continuar frequentando a terapia de grupo. Por um lado, me senti abandonando aquelas pessoas, que eu enfiei na cabeça que precisavam de mim e da minha força, mas que força? Acho que agora, com esse post, eu tô atingindo muito mais pessoas e devo conseguir, pelo menos, por alguns minutos plantar um sentimento bacana na cabeça de alguém e de todas essas pessoas, pelo menos uma pode parar de fumar. JÁ É UMA VITÓRIA.
Nessa luta, vi que a melhor forma de estar preparado pra todas as dificuldades da vida, é passando por elas, só aí que descobrimos o nosso potencial. A
ntes de perder pro mundo, perdemos pra nós mesmos, pois os nossos joelhos só dobram, quando o cérebro dá o comando pra que eles dobrem ou seja, VOCÊ PODE, VOCÊ CONSEGUE.
Como sempre, resolvi fazer tudo do meu jeito (sou teimosa demais) e no dia 30 de outubro de 2011, DOMINGO, às 12h fumei o meu último cigarro. Nem esperei chegar a segunda, que é o dia oficial de começar tudo na vida. Hoje digo que a melhor hora pra começar, seja lá o que for, é AGORA!!!

(Farei um outro post contando os meus métodos pra enfrentar esse martírio).

27 de mar de 2012

Eu não vivo de luz :P

Hoje em dia, com a correria, somos bombardeados com soluções rápidas, mas que nem sempre atenderão nossas necessidades. É o famoso provisório-permanente que nos faz deixar tudo pra depois, depois, até que um dia, o problema virou uma bola de neve e o trabalho é dez vezes maior. Assim fazemos com a nossa alimentação (tudo faz mal, menos a minha torta alemã que colore a vida <3 ).
Somos movidos a prazeres e comer, além de nutrir o corpo, também nutre a alma (como a minha torta alemã de domingo, como o seu chocolate da tpm, aquele bolo de fubá com café nos dias de chuva..) e nos traz uma sensação maravilhosa, por isso é tão complicado trocarmos aquela lasanha quentinha por um saladão.
O que temos que fazer é REAPRENDER, não só aquela coisa que estamos carecas de saber, que é comer de 3 em 3 horas, bla, bla, bla, mas sempre pesar o que vale a pena ser feito. No início, é bem complicado e até doloroso, mas tudo é construído no dia-a-dia. (não pensem que em 1 semana você já estará magra, linda, rica com sua boa taça de espumante, que não é assim a não ser que você faça lipo, plástica e case com um homem rico ~apagar~). Vão completar 3 anos que observo a minha alimentação e ainda assim, noto coisas novas todos os dias, então tenha como primeira dica: Analise a sua alimentação, experimente coisas, anote, substitua aos poucos, use temperinhos pra dar um gostinho a mais.
O ideal seria não comermos nada na rua. Além da porta aberta para contaminação, temos uma boa desculpa pra comer porcarias, alegando o que??? "era o que tinha e eu estava com pressa" :P. Eu trabalho o dia inteiro, treino de noite, chego em casa por volta de 20h, às vezes faço o meu jantar (faço sempre um pouco mais pra congelar para os dias de preguiça), coloco roupa pra lavar e faço os lanches do outro dia. Cansa? Cansa!!!! mas além de economizar, ainda como algo gostoso (nem sempre bonito hehe) e que faz bem.
Eu sempre dou a mesmas dicas pra quem pergunta e sempre falam: Não acredito que é só isso! Mas não é fácil quando crescemos com o costume todo errado. Comece aos poucos, uma coisa de cada vez e sempre observando, pois assim é mais fácil ver o que não funcionou e tentar outra alternativa (que não seja se jogar do viaduto ou correr pra primeira conveniência e se atolar na nega maluca). Vamos as benditas:

1) Troquei o refinado pelo integral (POR QUE? porque eu quero! ~mentira~).
Além de ser muito mais nutritivo, o integral fornece uma liberação mais lenta de glicose, trazendo energia para o corpo por muito mais tempo, assim como a sensação de saciedade. Então até nas vezes que comia fora, pedia na versão integral e assim fui incorporando o integral na minha vida. ;)

2)Evitava carboidratos a partir das 18h (Hoje janto com arroz integral porque treino 19h).
Pra que serve o carboidrato? (pra pesar no buchinho momentos antes do período de hibernação ~apagar~)
Os carboidratos servem como fonte de energia, ou seja, caso eu não gaste essa energia, o nosso corpo tem a inteligente função de estocar para quando precisar (para a nooooossa tristeza ). Então, caso você não pratique nenhuma atividade física esse horário, evite , reduza ao máximo a quantidade de carboidratos. ;)

3)Ando com o meu cachorrinho. (apelido carinhoso da minha garrafinha de 600ml de água)
Além de que 60% do nosso corpo é constituído por água (precisamos manter nosso reservatório em alta hehe), a água ajuda a eliminar resíduos através da urina, ajuda no transporte de nutrientes e ajuda a retirar o ácido lático que é o que dá aquela dorzinha e cansaço depois dos treinos. Então às vezes a gente nem precisa do suplemento mais poderoso, precisa mesmo é beber água.

O resto nem precisa dizer que é evito doce, fritura, sal, embutidos e congelados. O meu pai, como bom mineiro, adora doce, carne de porco, gorduras das mais variadas formas e outro dia falou que comer bem é isso e acha que eu vivo de luz e pó (meus potes de suplemento). Gente, eu
como de tudo, mas confesso que já não sinto mais tanta vontade de comer tanta porcaria como antes, pois tenho feitos minhas versões fake e ficam tão deliciosos quanto a versão "entope artéria", mas ainda assim, quando a vontade (leia-se tpm) ataca, não conto 2 e corro pra matar a loucura, caso contrário deixo pra comer besteira nos almoços de finais de semana, casamentos, aniversários (cá pra nós, o que é se sujar com um mc donalds quando a gente tem aquele monnnte de coisas nos aniversários. É muito mais negócio). É o que eu falo..o que vale mais a pena? :P


Minhas versões:
1) Escondidinho de mandioca/macaxeira em vez de batata normal.
2) lasanha de berinjela (em vez de macarrão)
3) Camarão, brócolis e purê de macaxeira com creme de ricota (em vez de manteiga)
4) risoto de arroz 7 grãos (em vez de arbóreo) com cebolinha, tomate cereja e camarão
5) panqueca de claras e aveia (substitui o pão algumas vezes)
6)fetutini de cenoura do claude troisgros (rá)
7) purê de macaxeira com creme de ricota e frango na chapa
8) pizza fake de rap10 integral, creme de ricota, brócolis, frango e biquinho
9) tomatinho recheado com creme de ricota ;)
10) pizza fake de rap10 integral com peito de peru, creme de ricota e manjericão (hmm)
11) tomate recheado com brocolis, creme de ricota e raspas de gorgozola (tpm)
12)pizza fake de rap10 integral com creme de ricota, brócolis, camarão e tomate.

ADOOOOOOOOORO BRÓCOLIS.

Saidinhas:
Sushi: sempre escolho sunomo (pepino em conserva com sashimi). corra dos fritos.
Pizzarias: versões com peito de peru (faz tempo que não vou numa pizzaria...sempre faço a versão wrap integral com ricota e peru).
Cantinas: Versão integral com molho vermelho.
Barzinhos: Copo grande com água (ninguém vai saber se é dose de vodka ou água), mas quando tenho muitaaa vontade, tomo umas 4 doses de vodka sem dó, nem piedade.

Qualquer lugar será divertido do mesmo jeito, você partilhando ou não da mesma comida que as outras pessoas. Muitos te chamarão de fresquinhos no começo, mas depois também te farão muitos elogios ;)

O importante de tudo é que só nessa troca, você reduziu gorduras, comeu coisas muito mais nutritivas, deu um tapa na pele e cabelos (sim, será notório) e de quebra deu uma boa emagrecidinha. O nosso corpo nada mais é que o reflexo da nossa alimentação.

26 de mar de 2012

O Recomeço.

A partir de hoje esse blog vai mudar um pouquinho. A cara já mudou, o conteúdo vai mudar também.
O que antes era um lugar dos meus devaneios, agora também será sobre cotidiano, saúde, treino, minhas gororobas ..tudo sobre a minha nova life.
Eu sempre quis mudar algumas coisas, mas nunca gostei de nada forçado, acho que é pra ter aquela noção de controle. Bem, hoje está quase concluído, pois ainda falta o lado profissional, mas depois de tanto me perguntarem, resolvi dividir aqui um pouco desse recomeço e dessas novas experiências.
Vou começar contando como foi esse início.