29 de mar de 2012

A decisão de parar de fumar


Me emociona escrever sobre isso, pois foi a minha maior conquista até agora. Quando falam que só damos valor ao que é difícil de ser conquistado..é a mais pura verdade, e eu me sinto o incrível hulk por isso.
Comecei a fumar aos 15 anos, por burrice (claro) e por uma extrema necessidade de afirmação. Essa é a fase em que precisamos ser aceitos, é quando o nosso mundo começa a ser dividido por tribos, grupos e quando começamos a conhecer os interesses. Até porque, na minha época, antes de 15 anos, a gente só queria saber de brincar e pouco importava quem tinha barbie ou prima pobre da barbie, se todas usavam roupas feitas de meia e os móveis da casa dela eram de caixas de fósforo. Fora as brincadeiras na rua (pira esconde, fura-fura, garrafão, peteca, queimada..)...saudade dessa época, mas voltemos ao assunto.
Com o tempo, os mesmos amigos que começaram comigo nessa "viagem", pararam com a brincadeira e eu fiquei. Na minha opnião, a pessoa não vira dependente, a pessoa É dependente e não sabe, por isso todos os amigos largaram a onda de fumar e eu fiquei..fui criando relação, aprofundando. Na época era um charme fumar o INSUPORTÁVEL Gudang Garam. Com o tempo eu fui achando nojento e trocando por cigarro de macho (o carlton, luck strike e camel da vida). Eu comprava a lata do Gudang, guardava embaixo das roupas na gaveta e levava sempre aos poucos quando saía. O tempo foi passando e o vício aumentando, até que meus pais descobriram, NUNCA aceitaram, mas passaram a ter que conviver com isso. (É quando digo que amor paternal não é deste mundo, não mesmo...é magnífico. Minha mãe sofria com sinusite, rinite, alergias intermináveis por conta da fumaça e fedor do cigarro, mas nunca desistiu de mim e nem de me incentivar a parar). Meu lance com o cigarro passou de habitual, gestual, pra algo muito mais intenso. Nós tínhamos uma relação íntima, éramos uma dupla dinâmica. Eu o levava aos lugares, o apresentava a sociedade, já que atualmente ele é quem passa por problemas de aceitação (pois o fumante não liga pra nada e sempre dá o seu jeito) e ele entra dividindo parcelas da vida e dando apoio. Foram muitas alegrias dividas nas rodas de fumantes, muitos rolos que começaram por um empréstimo de isqueiro, foram muitas lágrimas, muitas...muitos momentos de solidão. Só ele quem me entendia e muitas vezes, inúmeras, foi SÓ ELE quem me acompanhou. O fumante vai pegando essa relação de "alma gêmea" com o cigarro. Nossos amigos tem compromissos, nossos familiares também, mas o cigarro, basta ir na esquina, puxar da bolsa..ele está lá contigo, pronto pra ouvir teus pensamentos, te dar 2 minutos de paz e depois voltar pro dia.
Com o tempo, passamos a dividir um café, uma cerveja (cheguei a fumar quase 3 carteiras numa noite e não me perguntem como eu amanhecia), o banheiro.. nossa, isso é o auge da intimidade pra mim. Pra você ver como o lance é intenso, que nunca dividi banheiro nem com marido. O negócio dominou, mas eu nunca importei, afinal de contas, que me ama tá comigo. E quem eu amo, por que não tô me importando?
O tio do ex-marido quase morreu por conta do Carlton (o meu xodó)..CÂNCER, fez traqueostomia. Vi toda a recuperação e nem liguei. O fumante é sempre mais forte, mais inteligente, mais dono da verdade que todos e sempre, sempre sabe que o dia que algo começar a dar errado, é o toque pra ele parar e pronto, ele pára. MENTIRA, ele pensa em parar. Depois de muito tempo fumando, o fumante já admira quem consegue fazer as coisas sem fumar, já acha meio chato ter que se afastar do grupo, justo no papo interessante, porque está na hora do cigarro. Ele já acha triste ter que sair pra comprar o maldito cigarro, quando poderia estar curtindo a chuva debaixo das cobertas, mas vai mesmo assim. O cigarro é tão bacana que faz passar essa sensação de tristeza. Sabe, hoje eu posso afirmar que parei de fumar (ainda vou comentar como fiz pra parar), mas eu gosto do cigarro, gosto do gosto, gosto da companhia. (tô quase chorando ao escrever isso), mas eu sei que chegaria um tempo em que eu teria que escolher "EU ou ele". Meus pais estão envelhecendo e sinceramente, eles não suportariam me ver sofrendo numa cama de hospital ou não suportariam a dor da minha perda por uma coisa tão pequena: um cigarro, mas isso é coisa que a gente vai pensando com o tempo e que eu sempre esqueci depois do primeiro trago.
Sempre me preocupei com a aparência (uma vez miss tuna 94, sempre miss tuna kkkk) e um belo dia me vi com manchas horríveis no rosto (poucas ainda),
aspecto cansado, marcas de expressão pelo hábito de fumar e uma tia fumante que eu tenho, disse que com o passar do tempo eu ficaria igual ela com "código de barras" na boca (aqueles risquinhos de boca rachada) e aquilo me apavorou. Meus dentes que sempre foram branquinhos, estavam amarelando e comecei a ficar encucada. Sim, eu estava envelhecendo antes do tempo. NÃO PODE, nem cabelo branco eu tenho ainda (não tenho mesmo, porque o único que apareceu, eu arranquei e voltemos ao assunto). Achei sacanagem o cigarro fazer isso com quem sempre deu o maior apoio a ele, mas isso é como se fosse contra a vontade dele... Como eu disse ao meu chefe, o cigarro em si, lá na carteira dele, não faz mal algum, é inofencivo, bacana, o cruel é o hábito de fumar e ele que estava acabando comigo. Eu posso até segurar um cigarro que ele não vai me fazer mal, mas ao acender e tragar....
Tentei inúmeras vezes parar de fumar, o máximo que consegui foi 1 ano, mas como ainda era influenciável (18 anos), voltei mais rebelde que nunca e mais viciada que nunca. Cada vez que paramos de fumar, voltamos com mais sede e ficamos mais frustrados, nos sentindo mais fracassados. Acho que por isso é tão doloroso tocar no assunto "PARAR DE FUMAR", pois não é fácil pra quem é tão forte como dupla, se admitir tão derrotado, se permitir fracassar mais uma vez..ninguém imagina o tamanho da briga interna, então é muito mais fácil seguir fumando, pois se eu morrer com o vício, não vou ter que ouvir piada de ninguém, muito menos ter que explicar que voltei e onde eu errei. ESSE É O PONTO, mas lembra quando comentei da família? Não queria esse sofrimento pra minha mãe, ela não merece e ...eu quero ter filhos. DOIS. Estou perto dos 30 anos.
Frequentei algumas reuniões da terapia de grupo pra fumantes, promovido pelo SUS. A única mais nova era uma moça de 18 anos que provavelmente não conseguiu parar até hoje, pois além de fumante, era depressiva, mas o resto, eram senhores, senhorinhas...rosto maltratado pelo tempo e pelo vício. Desempregados que muitas vezes não tinham dinheiro pra comer, pegar ônibus pra entrevistas de emprego, mas continuavam fumando. COMO??? Eles choravam contando suas histórias e eu chorava contando a minha, mas que, sinceramente, não era nada ou quase nada ao lado da deles e eu não queria isso pra mim. AINDA ERA TEMPO.
Todo mundo fala da crise dos 30 e ao perceber que ele estava chegando, em vez de me lamentar, me veio a vontade de tentar resolver tudo o que sempre me incomodou e isso tem me feito um bem danado a cada dia. Como já disse, o cigarro nunca me fez mal nenhum, mas o hábito de fumar, ainda iria me matar.
Não tive tempo e paciência pra continuar frequentando a terapia de grupo. Por um lado, me senti abandonando aquelas pessoas, que eu enfiei na cabeça que precisavam de mim e da minha força, mas que força? Acho que agora, com esse post, eu tô atingindo muito mais pessoas e devo conseguir, pelo menos, por alguns minutos plantar um sentimento bacana na cabeça de alguém e de todas essas pessoas, pelo menos uma pode parar de fumar. JÁ É UMA VITÓRIA.
Nessa luta, vi que a melhor forma de estar preparado pra todas as dificuldades da vida, é passando por elas, só aí que descobrimos o nosso potencial. A
ntes de perder pro mundo, perdemos pra nós mesmos, pois os nossos joelhos só dobram, quando o cérebro dá o comando pra que eles dobrem ou seja, VOCÊ PODE, VOCÊ CONSEGUE.
Como sempre, resolvi fazer tudo do meu jeito (sou teimosa demais) e no dia 30 de outubro de 2011, DOMINGO, às 12h fumei o meu último cigarro. Nem esperei chegar a segunda, que é o dia oficial de começar tudo na vida. Hoje digo que a melhor hora pra começar, seja lá o que for, é AGORA!!!

(Farei um outro post contando os meus métodos pra enfrentar esse martírio).

14 comentários:

  1. Minha prima decidiu parar faz uma semana. Vou passar pra ela o endereço desse post!

    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Nossa, fiquei boba com seu relato!
    Acompanhei de longe pelo face a sua empreitada e na mesma época meus pais pararam também. Eles estão num profudo mau humor por causa do vício largado, deixaram de usar os adesivos e fugiram da terapia também como vc, mesmo sem voltar a fumar, vejo que a luta deles é diária, e o stress é prova disso. Mas eu sei que eles superam.
    Acho que quando a gente consegue ser forte e superar alguma fraqueza nossa, seja ela qual for, a sensação é sempre essa de incrível Hulk, e é aí que percebemos que tudo é possível... Então, essa garra se estende à outras áreas da vida e nos tornamos mais fortes. Parabéns Ana Paula, vc é muito guerreira e a saúde dos seus pais e dos seus filhos, seus DOIS futuros filhos, agradecerão!!
    Parabéns mesmo!! Beijos!!
    P.s.: Vou mostrar esse texto pra mamys! :)

    ResponderExcluir
  3. Até o início da outra semana, vou escrever sobre a saga. O pior foram as duas primeiras semanas, depois foi um pouquinho mais tranquilo, mas sem dúvida, é um dia de cada vez.
    Dêem apoio pra quem tá parando, não falando coisas que lembre cigarro, aliás, não toque nessa palavra, em vício e em nada que faça lembrar ..distraia ou simplesmente respeite e deixe ela quieta. Uma hora ela sai da toca :P
    mas isso eu vou falar no outro post.
    Agradeço do fundo do coração os comentários, pois quem convive comigo, sabia a relação que eu tinha com este que foi meu companheiro de aaaaanos ;)


    beijocas

    ResponderExcluir
  4. Amiga xuxulenta.
    Achei de uma sinceridade loka seu post.
    Pena que agora que vc nao larga mais o grupo pra puxar um fumo... vc me largou (mimimi vou fumar)

    ResponderExcluir
  5. Irmã, que post forte!

    Você disse tudo, suas palavras vão tocar fundo alguém que talvez nem saiba, mas precisava ler isso que vc escreveu!

    Até eu, que nunca fumei, fiquei tocada, certeza que tentaria parar agora mesmo se fumasse rssss

    Conheço 2 pessoas que sobreviveram ao câncer de laringe, com sequelas, claro, e perdi um professor querido da facul assim tb. Muito triste!

    Não sei se faço ' a chata', mas sempre que um paciente senta na minha cadeira e fala "meus dentes estão horríveis!" eu pego a deixa e emendo com um "imagine então como não está o seu pulmão!"...e sigo 'catequisando' de leve, mas não consigo ficar calada rssssss, eu disse, faço a chata merrrmo! :P

    Muito orgulho de você, do seu esforço, da sua Conquista e da sua coragem em expor a alma aqui! PARABÉNS 1000 vezes!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Parabéns! Por ser forte, por ser mais você e pelo pelo texto tão sincero.

    ResponderExcluir
  7. Achei lindo o post, muito bem escrito... Achei interessante que vc contou toda uma relação q realmente existe com o vício, desde o ápice à decadência... Isso é importante pra quem não fuma tomar consciência e não ficar julgando as dificuldades alheias... Não sou fumante, mas minha mãe é. Ela sempre tentou e nunca conseguiu, sempre tive que conviver com o mau cheiro e o incômodo da fumaça, mas tb via q quando ela tava mal era a única coisa q fazia ela relaxar! Muito bacana msm!

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pela vitória de cada dia, amiga. Não se esqueça de orar e pedir a Deus orientação e força para conseguir vencer a cada dia; um dia de cada vez.

    Não sei quais foram os seus métodos para parar de fumar, mas adicione esse ingrediente na receita: ore todos os dias para vencer o vício. Peça por aquele dia em especial e ore também quando sentir vontade de cair, no momento exato em que se sentir tentada.

    Esse foi o meu método para vencer outro vício que tenho, não menos pior que o vício em nicotina. Só consegui com esse e com nenhum outro método. Aprendi também que vencemos a guerra um dia após o outro, sem falhar com a receita, e com os joelhos no chão.

    Não vou assinar essa mensagem, mas queria que soubesses que vou orar e pedir ao papai do céu para que te ajude com seu braço nessa empreitada. Que ele te conforte e te guarde!

    Deus te abençoe e continue te fazendo bela. Bjo!

    ResponderExcluir
  9. Continuo dizendo, você é uma pessoa A PAI XO NAN TE!!! apenas pessoas assim são capazes de fazer o que fizeste, faz e fará. Fico orgulhoso de poder contar sua história a pessoas que precisam da mesma forma que você precisou. Parabéns e sempre sucesso na nova caminhada. Pode contar comigo. Beijão.

    ResponderExcluir
  10. Ohhh Aninha puts.....sem comentários ! Que Deus te traga muita luz e força querida, para você continuar a lutar a sair de qualquer dependencia que tenha ainda no seu corpo. E sei que isso é fichinhaaaa comparada a sua garra e sua energia de viver! Vc a cada dia que passa também conquista nossa mente com seus relatos!
    Beijos Miss Tuna 94....uma vez Miss,sempre Miss...kkk....adorei saber!

    ResponderExcluir
  11. Porra meu....vc foi foda nesse post!
    Bjos

    ResponderExcluir
  12. Adorei seu post, fumo gudang a 3 anos, não qero para, maiis eu sei qe tenho ! qem sabe dessa vez eu mudo de idéia !
    ta de parabens ! Beijoos

    ResponderExcluir